Portal de Iranduba

Política

Esporte

Entretenimento

15 de março de 2012

CHEIA 2012



Mais da metade dos municípios
do AM já decretaram estado de alerta

         Trinta e cinco municípios amazonenses já decretaram estado de alerta para os riscos de enchente e outros problemas ocasionados pela subida das águas em seus respectivos territórios, segundo levantamento realizado pela Associação Amazonense de Municípios (AAM), no último final de semana junto aos órgãos e representantes das prefeituras. Em outros sete foram decretadas situação de emergência e 18 cidades – incluindo Manaus – foram classificadas como “estado de normalidade”. Até o momento, apenas Boca do Acre (na região do Purus) decretou calamidade pública no Estado e não foi possível obter os dados referentes a Alvarães (530 Km da capital).
         O presidente da AAM e prefeito de Manaquiri, Jair Souto, explica que na prática, o “estado de alerta” é uma orientação inicial para que o poder público e a população tomem medidas preventivas quanto a cheia que se aproxima, como por exemplo, não transitar em determinadas áreas da sede do município ou das zonas rurais sujeitas a riscos e preparativos para possíveis resgates.
         “No estado de emergência, o município pode pedir auxílio de recursos da União para reparar os estragos provocados”, acrescenta Souto, destacando que a AAM está acompanhando atentamente a situação (este é o segundo levantamento divulgado pela entidade sobre as conseqüências da temporada de chuvas nos municípios amazonenses em 2012) e atua na orientação e ligação dos gestores – principalmente das sedes mais distantes da capital – com órgãos como a Defesa Civil e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) entre outros.
         De acordo com o levantamento, a situação é mais grave nas calhas do Purus – onde além de Boca do Acre (em calamidade pública), os outros quatro municípios, Canutama, Lábrea, Pauniní e Tapauá, estão em estado de alerta – e do Juruá. Na região que compreende Carauari, Eirunepé, Envira, Guajará e Itamarati, todos já estão sob estado de emergência, com exceção do último que está em alerta. No Baixo Amazonas, apenas Urucará está em situação normal.
Por outro lado, nas calhas do Madeira, do Médio Amazonas e do Alto Rio Negro, de um total de 15 municípios, apenas quatro estão em “alerta” e um decretou emergência (Itacoatiara).
Jair Souto lembra ainda que além dos fatores sociais como aumento no número de desabrigados, falta de alimentos e recursos em geral, a economia do interior, sofreu grandes abalos. “Temos relatos que em algumas regiões, mais de 50% da safra agrícola está perdida”, alerta o prefeito.
Press Comunicação 

Postar um comentário

Sempre visando o melhor aproveitamento dos Debates, pedimos a atenção dos participantes. Os moderadores não se responsabilizam pelos comentários publicados neste espaço. Coloque o assunto da sua dúvida ou pergunta no título do tópico para facilitar a busca e manter os tópicos organizados. Especifiquem exatamente o assunto no título, isto vai facilitar na resposta solicitada, caso contrário SERÃO APAGADOS. Após a deleção de algum tópico será aberto um outro tópico pra explicar o porquê foi deletado. Escolha um tema claro e objetivo que identifique sua real necessidade e facilite aos demais participantes ajudá-lo.

 
Copyright © 2013 Portal de Iranduba
Powered byBlogger