Portal de Iranduba

Política

Esporte

Entretenimento

Cidade

Boletim Policial

Giro de Notícia no Amazonas

Brasil

Destaque

11 de maio de 2017

Aranha venenosa é encontrada em Manaus e Iranduba, no Amazonas

Espécie é a segunda mais venenosa e ainda não haviam registros na capital


Pequenas, porém muito perigosas para os seres humanos, as aranhas do gênero Loxosceles amazonica, conhecidas como aranha-marrom, aranha-violino ou reclusa-marrom, foram encontradas em Manaus (AM). A espécie venenosa foi recentemente descoberta em meio ao lixo em áreas do Centro e alguns bairros como Cidade Nova, bem como no município de Iranduba, na área rural da Vila de Paricatuba, no Amazonas.

Quem detectou a presença do aracnídeo na cidade foi o pesquisador e estudante de doutorado em entomologia no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Marlus Queiroz de Almeida. "Ela é muito comum no Brasil e é a que causa o maior número de acidentes do País, mas ainda não tinha sido encontrada aqui", explicou ao Portal Amazônia

O registro foi publicado pela revista especializada Acta Amazonica, sob o título 'Muito tempo sem ver: Expansão dos registros de Loxosceles amazonica (Araneae: Sicariidae) para o estado do Amazonas, Brasil'. Segundo a publicação, as aranhas Loxosceles são encontradas nas Américas, África e na Europa. Elas não são agressivas e a maioria dos acidentes ocorre por contatos não intencionais, uma vez que elas se escondem facilmente em roupas, lençóis e pequenos espaços. 

"Ainda não havia sido encontrada a Loxosceles amazonica em Manaus. Não sabemos se foi introduzida, sua origem aqui, mas as populações estão aumentando porque não existem medidas de prevenção. Elas se reproduzem facilmente e podem ser transportadas pelo lixo", afirmou. 

A picada é indolor, mas as consequências são sérias. O veneno da aranha-marrom possui atividade proteolítica e hemolítica, que podem causar acidentes com complicações graves e até levar à morte. No Brasil, 12 espécies podem ser encontradas. A Loxosceles amazonica tem relatos de ocorrência no Pará, Tocantins, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Mato Grosso. 

Segundo Almeida, não existiam registros da L. amazonica na coleção de invertebrados de institutos do Estado até agora e, por isso, pesquisas precisam ser realizadas para saber motivo de seu aparecimento. "Pelo que vi, elas podem se reproduzir em várias épocas, mas precisamos de um estudo maior dessa especie. Além disso, também precisamos alertar a população, que deve ter mais atenção com a limpeza", disse. 

Maranhão

Três pessoas foram internadas após serem picadas por uma aranha-marrom, em São Luís, no Maranhão, conforme reportagem do G1 Maranhão publicada nesta quarta-feira (9). O universitário Otávio Jansen foi mordido pela aranha dentro de casa enquanto dormia, e só percebeu que alguma coisa estava errada quando um dos seus dedos do pé começou a inflamar. 

“Inicialmente aparentava ser só um calo, não doía, não inflamou, não tinha nada de diferente do que um pequeno machucado. Só que com o passar dos dias, começou um processo inflamatório muito forte. Simplesmente fazer a limpeza e passar uma pomada no local já não estava fazendo efeito”, contou.

Dicas
As aranhas-marrons, assim como outros aracnídeos, entram facilmente por tubos de ventilação, espaços entre portas e janelas, entre outras pequenas áreas. O ideal é observar se estes locais tem teias e fazer limpeza periódica e balançar calçados ou roupas antes de usar.

Fonte: Portal da Amazônia

9 de maio de 2017

Foragido do regime semiaberto do Compaj é preso em Iranduba, no AM


Um homem de 36 anos foi preso nesta segunda-feira (8), identificado como foragido do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Segundo a polícia, ele é suspeito de tráfico de drogas. A prisão ocorreu no município de Iranduba, a 27 km de Manaus.
A 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) cumpriu, por volta das 8h, um mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, investigado por tráfico de drogas no distrito rural de Cacau Pirêra, no município de Iranduba.
Ao chegar na residência, a equipe policial consultou a identidade do morador e constatou que ele havia fugido do regime semiaberto do Compaj no dia 26 de dezembro de 2016.
No local, a polícia apreendeu uma lancha de alumínio, um motor e uma quantia de R$ 1.085. Por meio de assessoria, o delegado Antonio Chicre Neto afirmou que o suspeito responde a outros processos na Justiça pelo crime de tráfico de drogas.
"Ultimamente ele comandava a distribuição de substâncias entorpecentes e dava cobertura a diversos roubos que ocorriam no Distrito de Cacau Pirêra, bem como era representante, naquela localidade, de uma facção criminosa que atua no Estado", disse.
O delegado comunicou a captura do suspeito à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), que ficará encarregada de realizar a transferência do homem para um dos presídios de Manaus.

Por: G1.com

8 de maio de 2017

Gasolina em Iranduba chega a ser 60 centavos mais barata que em Manaus



O preço da gasolina nos sete postos de combustíveis de Iranduba (a 27 km da capital amazonense) é até 15% mais barato que nos 320 existentes em Manaus. Lá, o litro do combustível chega a custar R$ 3,18 e aqui na capital está há R$ 3,79, na promoção. 
Segundo o vice- presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindicam), Geraldo Dantas, isso se deve a uma ”briga” pelo melhor preço e que a iniciativa foi do dono de um dos 7 postos do município.

Dantas explica ainda que não sabe exatamente como o empresário consegue vender o combustível nesse valor, uma vez que o preço do frete para Iranduba é um pouco mais caro do que para Manaus.

”Talvez ele tenha conseguido algum desconto junto à distribuidora ou está bancando sozinho os custos, sem lucrar muito”, sugeriu o vice-presidente do Sindicam, lembrando que o combustível em Itacoatiara (a 270 km de Manaus) e Presidente Figueiredo (a 130 km de Manaus) ultrapassa R$ 4.
Em Manaus, consumidores de um posto localizado na avenida São Jorge, próximo ao 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS), na Zona Oeste, pagam R$ 3,85 na gasolina comum e R$ 3,89, na aditivada. Um valor que não agrada os consumidores, como a manicure Lene Silva, que usa o carro para trabalhar. A manicure chega a deixar o carro em casa, de vez em quando, para economizar. ”Se a gasolina aumentar, não tem condições, terei que andar de ônibus”, afirmou.
O taxista Paulo Soares, conta que abasteceu em Iranduba semana passada e ficou revoltado com a diferença que ele classificou de “absurda” entre os valore cobrados lá e aqui na capital.
Sefaz



A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) informou que não há diferença na tributação para os combustíveis vendidos na capital ou no interior, muito menos nenhum tipo de isenção fiscal para qualquer município amazonense. Logo, a assessoria de imprensa do órgão acredita que tudo se trata de uma estratégia para estimular a concorrência entre os postos daquele município.
Aumento e frota
No último dia 20 de abril a Petrobras anunciou um aumento de 2,2% no preços da gasolina e de 4,3% no preço do diesel. Os valores já entraram em vigor nos postos do Estado, mesmo assim, esta semana os preços caíram em bombas da cidade. Alguns postos estavam cobrando R$ 3,89 no litro da gasolina comum e hoje já pode ser encontrado a R$ 3,79.
Já do outro lado da Ponte Jornalista Phelippe Daou, os primeiros postos cobram entre R$ 3,59 e R$ 3,49 no mesmo litro de gasolina. Porém, quem abastece na sede de Iranduba consegue pagar até R$ 3,19.
POR: EM TEMPO

4 de maio de 2017

TSE cassa governador do Amazonas e determina novas eleições


O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou nesta quinta-feira (4) a cassação dos mandatos do governador do Amazonas, José Melo (PROS), e de seu vice, Henrique Oliveira (SD), e a convocação de novas eleições no Estado para os cargos. 

O governador José Melo (PROS) foi acusado de comprar votos na campanha em que conseguiu a reeleição, em 2014. Melo e seu vice já haviam sido condenados pelo TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas), sentença confirmada hoje pelo TSE, que julgou recurso da defesa do governador. 

A ação contra Melo foi apresentada à Justiça Eleitoral pela coligação adversária em 2014, que tinha o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) como candidato ao governo. 

Os ministros do TSE determinaram a "execução imediata" da decisão. A defesa do governador, no entanto, ainda pode recorrer ao STF, que pode, em tese, determinar sua manutenção no cargo até que o Supremo julgue o recurso. 

Outro lado A assessoria de imprensa do governo do Amazonas informou que José Melo se disse "surpreso" com a decisão. Por meio de nota, o governador disse considerar o resultado injusto, embora respeite a decisão da Corte superior. "Recebi com grande surpresa a decisão do TSE, que considerei injusta, pois não pratiquei nenhum ato reprovável. 

Respeito a decisão e vou aguardar a publicação do acórdão", disse José Melo. Ele se reúne nesta quinta-feira com advogados para definir quais medidas serão adotadas. 

Fonte: UOL POLITICA
 
Copyright © 2013 Portal de Iranduba
Powered byBlogger